Precisamos falar sobre Moda sustentável

Você já deve ter ouvido ou lido em algum lugar a expressão "moda sustentável", mas você sabe o que é?

Por intuição, já dá pra saber que é coisa boa. E sim, é muito boa! Porém não é algo que as pessoas sempre estiveram dispostas a fazer.

Assuntos que envolvem sustentabilidade e consciência sempre rodearam o universo da moda, mesmo que não estivessem sendo empregados nele.

Hoje em dia, com a facilidade de se obter informações de todos os tipos, os consumidores estão ficando cada vez mais exigentes e desconfiados sobre o que estão consumindo, obrigando que as empresas mudem sua maneira de produzir se ainda quiserem ocupar os hankings desses consumidores.




A moda sustentável consiste em otimizar os métodos de produção pra que não afetem ainda mais o meio ambiente. O uso de corantes naturais, a diminuição do volume de água utilizado, reuso das peças produzidas, tecidos de fibras orgânicas, consumo de comércio local, não uso de agrotóxicos e pesticidas que são prejudiciais para a saúde etc, são medidas que caracterizam a moda sustentável. O consumo de comércio local é importante pois quanto maior a distância da entrega do produto, mais CO2 é liberado no meio ambiente, considerando que a maior parte das entregas são feitas através de veículos não sustentáveis.


Além da questão ambiental, para se fazer uma moda sustentável é preciso que as exigências sociais também estejam sendo respeitadas (óbvio!). Aí você pode estar se perguntando: "Ué, mas como assim exigências sociais sendo respeitadas?! Elas já não são?!" Infelizmente, não! Ainda vemos casos de empresas que passam por cima dos direitos trabalhistas e humanitários, expondo seus trabalhadores a situações precárias e insalubres, trabalhando até 17 horas por dia para ganharem uma merreca. Não é necessário dizer que isso não tem nada de sustentável, né?! E também têm aquelas empresas "espertinhas" que para não dizerem que estão infringindo os direitos trabalhistas, tercerizam a produção e a transferem para um país emergente onde os direitos não são justos e permitem certa exploração.


A verdade é que a indústria da moda é uma das principais responsáveis pelos impactos ambientais. O alto consumo e a alta produção andam lado a lado e resultam em maiores descartes. O consumo nunca vai acabar, mas é possível criar um consumo consciente, onde a quantidade não seja mais importante do que a qualidade. Uma das bases do pensamento de moda sustentável está na ideia de produtos com uma maior durabilidade, que não sejam feitos para estragarem ou "saírem de moda" na próxima estação.


Descarte de toneladas de roupas em lixão
Descarte de toneladas de roupas em lixão

Moda sustentável, Moda consciente, Moda responsável, Moda ecofriendly, eco fashion...muitos termos diferentes mas que colidem com a mesma razão ambiental e social. Nem o meio ambiente, nem uma pessoa deveria sofrer pra que a gente garanta a nova peça que é tendência da temporada.



Pesquisas indicam que o setor têxtil emite cerca de 10% dos gases estufas do planeta, liberam 500 mil toneladas de microfibras sintéticas nos oceanos anualmente e é o número 1 no gasto de água.



"Mas como me incluir na moda sustentável?"

Assim que eu me deparei com o quanto que algo que eu amava tanto (moda) fazia tão mal para o planeta, eu me fiz essa mesma pergunta. A reutilização de peças já é uma ajuda e tanto. A procura por brechós vem aumentado consideravelmente. O que é um grande "o mundo não gira, ele capota!", já que antes era um insulto usar o termo "brechó" para se referir a algum look (se vc já viu filme teen adolescente de até os anos 2010 sabe do que eu tô falando). Quando na vida se imaginou que look de brechó seria algo cool?! Eu, particularmente, acho INCRÍVEL. Nunca entendi essa perseguição negativa com os brechós, e sempre amei roupa vintage e que tivesse história pra contar. Mas aliás, se engana quem pensa que brechó é só roupa vintage, em! Dá uma olhada no insta que você vai pirar com tantas opções.


Além da reutilização de peças, é importante que você seja um consumidor informado. Isso quer dizer que chegou a hora de você parar de ignorar a etiqueta de composição das suas roupas (tá passadah?!). Etiqueta de composição é aquela que fica dentro da roupa e informa de que material ela é feita. Priorize materiais naturais, como algodão (o que também nem sempre é sinal de sustentabilidade, já que muitas marcas fazem uso indevido de agrotóxicos em suas plantações. Se possível, opte por aqueles que são orgânicos ou sustentável). Se informe também sobre a empresa que você está investindo o seu tão suado dinheiro. Pesquise se é uma marca transparente que respeita os direitos trabalhistas e ambientais.

Mas eu sei que nem sempre a moda sustentável é uma moda acessível. Na maioria das vezes, para se ter um produto com a garantia de sustentável é necessário ter uma condição financeira boa. Infelizmente, o sustentável e acessível ainda não falam a mesma língua. Porém, há hábitos que podem ser criados além disso, como a reutilização e o apoio ao comércio local. E, claro, a informação. Pois quanto mais exigentes e bem informados forem os consumidores, mais as empresas terão que se transformar.





Indicações: Documentário The true cost

O vídeo A história das coisas




2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo